Comparar as formações discursivas do direito na Europa e na América Latina é hoje um bom exercício para confirmar que o discurso jurídico na Europa não é um discurso universal e para constatar que, hoje, nem sequer é um discurso inovador ou de vanguarda. Um desenvolvimento desta questão teria exigências – de natureza metodológica, de enquadramento conceitual geral, de aprofundamento empírico – que não é possível satisfazer nesta síntese, sobretudo dedicada a salientar as especificidades do discurso sobre o direito no Brasil contemporâneo.

Enviar para um amigo
Enviar para um amigo
| |   Enviar   | |

Licença Creative Commons Esta publicação está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.


© 2012 || Civilistica.com || webdesign by pedro gentil